Adoração ao Santíssimo Sacramento

A adoração é o primeiro ato da virtude da religião. Adorar a Deus é reconhecê-lo como Deus, como o Criador e o Salvador, o Senhor e o Mestre de tudo o que existe, o Amor infinito e misericordioso. “Adorarás o Semhor teu Deus, e só a ele prestarás culto” (Lc, 4,8), diz Jesus, citando o Deuteronômio (6,13)

“Adorar a Deus é, no respeito e na submissão absoluta, reconhecer ‘o nada da criatura’, que não existe a não ser por Deus. Adorar a Deus é, como Maria no Magnificat, louvá-lo, exaltá-lo e humilhar-se a si mesmo, confessando com gratidão que ele fez grandes coisas e que seu nome é santo. Adoração do Deus único liberta o homem de se fechar em si mesmo, da escravidão do pecado e da idolatria do mundo.” (CIC 2096, 2097).

Quando o Anjo do Senhor apareceu em Fátima aos três pastorinhos, trazendo na mão um cálice com a Sagrada Eucaristia, prostrou-se de joelhos com o rosto em terra e convidou as crianças a repetir com ele esta oração:

“Meu Deus! Eu creio, adoro, espero e amo-Vos; peço-Vos perdão para os que não crêem, não adoram, não esperam e não Vos amam” (3 vezes)

O anjo ainda lhes ensinou:

“Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, eu vos adoro profundamente e Vos ofereço o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Nosso Senhor Jesus Crito presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido e pelos merecimentos infinitos de Seu Santíssimo Coração e pela intercessão do Imaculado Coração de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.”

Depois, levantando-se, tomando o cálice, disse:

“Tomai e comei o corpo de Jesus horrivelmente ultrajado pelos homens ingratos. Reparai seus delitos e consolai o Coração de Vosso Deus.”

Procuremos atender às queixas do Anjo, feitas com tanta ternura e insistência, recebendo Jesus freqüentemente com a alma pura, visitando-O e fazendo-Lhe companhia, pois Jesus sacramentado se encontra em muitas Igrejas sozinho e abandonado como no Horto das Oliveiras.

Fonte: www.cancaonova.com

Padre Pio, em cada visita sua ao Santíssimo Sacramento, rezava assim:

“Senhor Jesus Cristo, que por amor aos homens habitais noite e dia no Sacramento, esperando, chamando, acolhendo todos os que o vêm visitar, eu creio que estais realmente presente nesse tabernáculo. Adoro-Vos, abismado que estou no meu nada, e agradeço-Vos por tantas graças que me haveis concedido, especialmente a de Vos terdes dado por advogada Maria, a vossa Santa Mãe, e me terdes chamado a visitar-Vos nesta igreja.
Saúdo hoje o Vosso adorável coração e espero saudá-lo por um triplo fim:

a) em agradecimento por este dom magnífico.

b) em compensação de todas as injúrias que vos fazem os Vossos inimigos, neste sacramento.

c) quero por esta visita adorar-Vos em todos os recantos da terra.

Meu Jesus, amo-Vos de todo o coração. Lamento ter no passado ofendido tantas vezes a Vossa bondade infinita. Proponho com a Vossa graça não Vos tornar a ofender para o futuro e para o momento presente o mesmo. Na minha miséria, consagro-me inteiramente a Vós, renuncio a minha vontade e dou-a inteiramente a Vós, bem como minhas afeições, os meus desejos e todo o que me pertence. Fazei de mim, daqui em diante, bem como dos meus bens, tudo o que Vos aprouver. Eu não peço nem desejo senão o Vosso santo amor, a perseverança final e a perfeita submissão à Vossa vontade.
Recomendo-Vos as almas do purgatório, especialmente as que foram mais devotas do Santíssimo Sacramento e da Santíssima Virgem. Recomendo-Vos também todos os pobres pecadores. Enfim, uno, ó meu Salvador, todas as minhas afeições às do vosso adorável Coração e ofereço-as ao Pai Eterno, pedindo-lhe para as aceitar e acolher por vosso amor. Assim seja.”